quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A derrapada de um veterano

Confesso a minha total ignorância. Sou tão ignorante que até há pouco desconhecia a existência do jornalista catarinense Lemyr Martins. Desconhecia, então, sua importância no jornalismo esportivo e, em particular, na cobertura do automobilismo (não que eu considere automobilismo um esporte, mas enfim). De automobilismo apenas acompanho, como leigo, a F1 - já fui mais assíduo em ver as transmissões pela TV, na época de Piquet, o pai.

Martins cobre a F1 desde 1970, seis anos depois de iniciar sua carreira no jornal gaúcho Zero Hora. É também um destacado fotojornalista, autor de fotos históricas de Pelé, Senna e outros. Atualmente trabalha para a revista Quatro Rodas.

Recentemente lançou seu mais novo livro: "Histórias, Lendas, Mistérios e Loucuras da Fórmula 1". Foi até recomendado por Juca Kfouri, que, declaradamente, não havia lido, mas passara um cheque em branco dada a amizade e o respeito que tinha (deve ter ainda) por Martins.

Só que, no livro, Martins publicou um diálogo entre Barrichello e a equipe Ferrari ao fim da prova do GP da Áustria de 2002, quando Barrichello liderava a corrida e teve que ceder o lugar para Schumacher. O diálogo fora totalmente inventado como uma piada e circulava desde então na internet. Até aí tudo bem, já que o livro era sobre lendas e loucuras. Porém, a história foi vendida como verdadeira. O jornal Lance! o reproduziu (colocou o salvador "suposto" antes, mas mesmo assim engoliu a história) em sua versão impressa e na net.

Qualquer pessoa logo percebe que se trata de uma furada. Mas cacifado por um jornalista como Martins... Muita gente ainda falou com o jornalista, mas ele confirmava a autenticidade da história. Inicialmente disse que recebera cópia da gravação e que ele traduzira para o português, depois que recebera a transcrição de uma fonte na F1 em quem ele confia muito.

O jornal Lance! tirou o corpo fora. Barrichello disse que foi a coisa mais hilária que leu nos últimos tempos. A editora Panda Books reconheceu o erro e irá retirar o livro do mercado (uma atitude sensata). Juca Kfouri não comentou nada, apenas registrou a nota da editora.

Ficaram apenas Lemyr Martins, com sua imagem arranhada, e a pergunta: como isso pode acontecer?

Upideite: 03/nov/2008, "como isso pode acontecer?", aqui uma reposta.
Upideite: 26/fev/2009, publicado no Observatório da Imprensa em 04/nov/2008.

Nenhum comentário: